Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Junho, 2012

Gostos

Há umas pessoas sobre as quais gosto muito que não gostem de mim. 😀

Anúncios

Read Full Post »

A crise e as galinhas

(imagem fanada algures na web)

Muito bom!

Read Full Post »

Não bastava o resto… (ou momento pub)

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH!!!!!!!!!!!!!!

(pânico)

A Fnac tem agora uma secção de papelaria.

Read Full Post »

… o mundo não é assim tão grande como isso. E mais: tem a particular característica de ser redondo. Por isso, e por muitas voltas que se lhe dê…
Está bom de ver, não é?

Read Full Post »

… e ainda bem.

Há uns anos, quando estreou o filme o Fabuloso Destino de Amelie Poulain, a grande maioria d@s amig@s cinéfilos cantavam loas ao filme. Toda a gente dizia: “já foste ver?” e eu: “Não.” Resposta: “Tens que ir!”

Bem, com tanta coisa lá fui ver o filme. Não achei nada de especial. Não me tocou particularmente. E aquilo perturbou-me. Porque raio achava toda a gente o filme de uma sensibilidade extrema, de uma beleza inaudita, enfim, qual obra prima, e eu, tirando a extraordinária banda sonora, composta pelo igualmente extraordinário Yann Tiersen, não achei aquilo nada de especial. Sim era giro e tal e quê, mas daí a tanta conversa… Pareceram-me, portanto exageradas as reacções. Vi o filme mais duas vezes. Sei lá, podia ter sido do dia em que o vi, qualquer coisa haveria de explicar esta indiferença. Nada. Não me tocou e pronto.

Hoje vinha eu no metro… (sim, já devia ter criado uma categoria só para os episódios do metro, mas não gosto de caixas fechadas), ia eu a dizer, vinha eu no metro, e uma pessoa à minha frente vinha a ler o livro “A Pianista” de Elfriede Jelinek, e sorria com ar tranquilo, suspirava, chegou mesmo a ficar envergonhada por ter soltado uma pequenina risada.

Bem, eu não li o livro. Mas vi o filme! E aquilo fez-me tudo menos rir. Um filme extraordinário e grande com a minha magnífica Isabelle Huppert (sim, é minha. se não sabiam ficam a saber!). Ninguém fica igual depois daquele filme, um autêntico soco em seco no estômago. Perturbador. E também vos digo, do meu ponto de vista é um filme para se ver uma só vez, repetir a experiência pode entrar nos domínios do patológico (agora sou capaz de estar a exagerar). Daí que agora tenho que ir comprar o livro não é? E lê-lo para perceber porque fazia aquela pessoa aqueles ares deliciados. Se calhar não é tão intenso como o filme… enfim…

E Pronto: era isto.

Read Full Post »

Perfurando…

 

“Lenta é a experiência de todos os poços profundos; tardam muito a saber o que caiu no seu fundo”.

F. Nietzsche

 

Read Full Post »

re-post

Como o post de ontem continua com redobrada acuidade mantenho o que disse!

(acho que já nem estou a pensar…)

Read Full Post »

Older Posts »