Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Março, 2014

Postas da sociologia nocturna

(se este blog usasse as categorias esta seria uma nova)

É reconfortante, pelo menos dá-me mais segurança, perceber que afinal o meu débil inglês não é assim tão débil quanto isso.

Ando com um paper que o meu orientador, queriduxo como só ele sabe, me deu há bastante tempo e ainda sem o ter publicado. Foi originalmente escrito em inglês. Li-o o várias vezes. Nunca o consegui perceber. Pensei que era do inglês.

Hoje, andava eu aqui a ler mais umas coisas numa obra mais recente que ele organiza com outros autores, e lá estava, grande parte desse texto, a parte substancial do mesmo, a tese que defende, ali pregada com as mesmas palavras ipsis verbis, desta feita escrita em português. Quando comecei a ler aquilo tive aquela sensação de deja vu, melhor dito, deja lu. Eu já tinha lido aquilo. No fim acabei na mesma. Entendi exactamente o mesmo e conclusão: não o consegui perceber.

O que dizer então sobre isto?

Hipótese A (a optimista): O meu inglês não é assim tão mau, o tipo é que não se sabe explicar.

Hipótese B (a pessimista): O problema sou eu que não chego lá.

Hipótese C (a realista): Talvez nem ele próprio entenda muito bem o que escreveu ali…

Estou bastante inclinada a achar que esta terceira é bem capaz de ser empiricamente verificável. Em breve terei oportunidade de a testar.

ahahahahahahahah (entoar de forma maquiavélica)

Anúncios

Read Full Post »

coisas da net…

Depois do vídeo intitulado ‘First Kiss’, e do qual aqui dei nota, se ter revelado parte de uma estratégia de marketing de uma empresa de roupa, muitos foram os vídeos realizados a parodiar a coisa.

Eu por acaso não retiro ao video o mérito por ter por de trás interesses comerciais. Acho que o que revela é que nós criaturas humanas conseguimos ser mais do que exterminadores de espécies, senhores da guerra, vendilhões do templo, etc, etc, etc. O vídeo mostra que também somos criaturas bonitas quando queremos.

Bem, mas voltando aos vídeos que parodiam o tal outro video que postei aqui, eis que estas senhoras resolveram fazer o seguinte:

Igualmente muito bom 🙂

Read Full Post »

nausea

Cheira a mofo e a putrefacção neste país.

(Post dedicado aos 112, mais aos 4 abstencionistas e mais aos outros que convenientemente foram passear. Parabéns a todos. Devem estar muito orgulhosos por Portugal continuar ao lado de países como a Roménia ou a Ucrânia em matéria de direitos humanos. Por isso mesmo e não só como também, esta musiquinha é vos dedicada com todo o carinho do meu fel.)

Read Full Post »

First Kiss

muito bom 🙂

Read Full Post »

… pelo menos para mim.

ando neste momento para propor uma nova definição de ilha: pessoa cercada por livros e papeis por todos os lados.

e na pausa lembrei-me disto.

(pode parecer que não, mas tem tudo a ver com o post anterior… e com a sociologia também, já agora :))

(não resisto a transcrever para aqui a letra. isto é bestial!)

“Somewhere in your wardrobe, I’d be willing to bet
There’s a t-shirt probably bearing the silhouette
of Che Guevara
He was revolutionary, yeah, he wore a cool hat
But behind the design I think you might find
it’s not quite as simple as that

Che was a bit of a homophobe,
Che was a bit of a homophobe, apparently
Che was a bit of a homophobe,
Che was a bit of a homophobe

[Chorus]
This is my song in defence of the fence
A little sing along, a anthem to ambivalence
The more you know, the harder you will find it
To make up your mind, it, doesn’t really matter if you find
You can’t see which grass is greener
Chances are it’s neither, and either way it’s easier
To see the difference, when you’re sitting on the fence

Somewhere in your house, I’d be willing to bet
There’s a picture of that grinning hippy from Tibet
– the Dalai Llama

He’s a lovely, funny fella,
he gives soundbites galore
But let’s not forget that back in Tibet,
those funky monks used to dick the poor, yeah
And the Buddhist line about future lives
is the perfect way to stop the powerless rising up
And he tells the poor they will live again,
but he’s rich now so it’s easy for him to say

[Chrous]
I’m taking the stand in defence of the fence
I got a little band playing anthems to ambivalence
We divide the world into terrorists and heroes
Into normal folk and weirdos
Into good people and pedos
Into things that give you cancer
and the things that cure cancer
And the things that don’t cause cancer, but
there’s a chance they will cause cancer in the future
We divide the world to stop us feeling frightened
Into wrong and into right and
Into black and into white and
Into real men and fairies
Into status quo and scary
Yeah we want the world binary, binary
But it’s not that simple.

And your dog has a bigger carbon footprint than a four wheel drive
Yea your dog has a bigger carbon footprint than a four wheel drive
And your dog has a bigger carbon footprint than a four wheel drive
And so does your baby, maybe you oughta trade him in for a Prius

ROCK!

[Chorus]
I’m taking the stand in defence of the fence
I got a little band playing tributes to ambivalence
We divide the world into liberals and gun-freaks
Into atheists and fundies
Into tee-tot’lers and junkies
Into chemical and natural
Into fictional and factual
Into science and supernatural
But it’s actually naturally not that white and black

You’ll be
Dividing us into terrorists and heroes
Into normal folk and weirdos
Into good people and pedos
Into things that give you cancer
and the things that cure cancer
And things that don’t cause cancer, but
there’s a chance they will cause cancer in the future
We divide the world to stop us feeling frightened
Into wrong and into right and
Into black and into white and
Into real men and fairies
Into parrots and canaries
Yeah we want the world binary, binary – 0100100!

The more you know, the harder you will find it
To make up your mind, it doesn’t really matter if you find
You can’t see which grass is greener
Chances are it’s neither, and either way it’s easier
To see the difference when you’re sitting on the fence
Cause it’s not that simple… Maybe…”

Read Full Post »

deve haver uma explicação…

… certamente muito boa, para explicar a minha impossibilidade natural para as coisas fáceis.

Read Full Post »

silêncios e companhias

Read Full Post »